Porque a compra da sua casa raramente é um bom investimento

Geralmente tendemos a achar que a compra de uma casa é um bom investimento. Que em vez que deitarmos dinheiro fora a pagar um arrendamento, pagar para sentir que a casa é nossa (na realidade não é bem nossa, mas do Banco) é de facto melhor do que arrendar.

Uma vez que raramente vivemos na primeira casa que compramos para sempre, gostamos da ideia de que a conseguiremos vender rapidamente por tanto ou mais do que compramos no futuro.… Continuar a ler

Como eu comecei a criar rendimentos passivos

Rendimentos passivos representam dinheiro que recebemos sem ter nenhum esforço ativo, isto é, por exemplo, dinheiro de ações que valorizam, dividendos, pagamento de juros no caso de investimentos em obrigações, rendas no caso de investirmos em imobiliário, assim como depósitos a prazo ou fundos de investimento. São investimentos que fazem com que entre dinheiro regularmente para a nossa conta, sem termos de trabalhar.… Continuar a ler

Comprar vs. arrendar – calculadora

Como prometido no último post, aqui têm uma calculadora que poderão usar antes de decidir comprar ou casa ou, mesmo já tendo comprado, para analisar se de facto foi uma boa decisão.

A calculadora apenas fornece uma indicação de valores, mas tenha em atenção que:

1 – Há muitos custos não monetários que devem ser considerados na decisão e é muito importante refletir sobre o momento pessoal e profissional em que nos encontramos.… Continuar a ler

Comprar vs. arrendar – porque deve olhar além da prestação que paga ao Banco

Há muitos custos inerentes à compra de uma casa que devemos ter em conta quando temos de decidir entre comprar ou arrendar. A compra de uma casa é certamente o maior investimento que irá fazer na sua vida, por isso é muito importante que dedique tempo a refletir sobre ele.

Segue uma lista dos custos que tem na compra de uma casa:

– Prestação mensal do empréstimo que paga ao banco: geralmente esta inclui amortização de capital, taxa de juro e seguros (de habitação e de vida).… Continuar a ler

Não confie na sua força de vontade

A nossa força de vontade é limitada. É importante termos consciência deste facto para não nos sentirmos pessoalmente culpados quando ela nos falha. Ter força de vontade e disciplina é importante, mas, ainda mais relevante, é evitar contextos que nos ponham em situações fragilizadas que dependam apenas da nossa força de vontade.… Continuar a ler

O verdadeiro custo de ter um carro

Ter um carro é mais caro do que aparenta. Pelo facto de haver vários custos associados em diferentes momentos do tempo que não nos são apresentados como um todo, é difícil analisar o verdadeiro custo global de termos um carro.

Para resolver este problema, decidi criar uma calculadora onde pode alterar os valores de acordo com a sua situação individual.… Continuar a ler

A minha primeira lição de Finanças Pessoais

Eu tive a sorte de ter uma professora primária muito boa que me deu a primeira (e provavelmente única) lição de finanças pessoais na escola. Foi um exemplo fantástico que fiquei a pensar durante semanas. Embora o objetivo dela fosse alertar-nos para os riscos de saúde de fumar, sabendo que as crianças podem ter um papel importante dentro da família para aliciar os pais a deixar de fumar, aliado à prática de operações matemáticas, acabou por tocar em questões muito interessantes relacionadas com o dinheiro, bem como no conceito de custo de oportunidade.… Continuar a ler

Quem gasta muito dinheiro não é necessariamente rico, feliz ou livre

Há três ideias que tendemos a criar relativamente a pessoas que gastam dinheiro em bens ou atividades tipicamente caras que eu gostaria de desmistificar, nomeadamente que quem gasta muito dinheiro é forçosamente rico, feliz e livre.

Pode à partida parecer contraintuitivo, mas as pessoas que gastam mais dinheiro não são necessariamente as mais ricas.… Continuar a ler