Há muitos custos inerentes à compra de uma casa que devemos ter em conta quando temos de decidir entre comprar ou arrendar. A compra de uma casa é certamente o maior investimento que irá fazer na sua vida, por isso é muito importante que dedique tempo a refletir sobre ele.

Segue uma lista dos custos que tem na compra de uma casa:

– Prestação mensal do empréstimo que paga ao banco: geralmente esta inclui amortização de capital, taxa de juro e seguros (de habitação e de vida). Tendemos a usar este valor para comparar com o custo do arrendamento, chegando à conclusão que é mais barato comprar do que arrendar. No entanto, este não é, de todo, o único custo que devemos considerar. Além disso, geralmente contraímos empréstimos com taxas de juro variáveis, o que significa que há um risco de que o valor da nossa prestação mensal aumente no futuro.

– Custos com água, luz, gás, telefone e internet: estes custos existem independentemente da decisão de arrendar ou comprar.

– Custos de contratação do empréstimo bancário: O Banco geralmente cobra-lhe entre 500 a 1000 Euros de custos de formalização do empréstimo. Além disso, terá de pagar 0.8% de Imposto de Selo sobre o crédito. Se pedir um crédito de 200.000 Euros, terá de pagar entre 2100 a 2600 Euros em custos relacionados apenas com o facto de pedir um empréstimo bancário.

– Custos iniciais de compra da casa: Incluo aqui o IMT, Impostos de Selo e custos com a escritura. Terá de pagar estes três valores no momento da escritura. A título de exemplo, numa casa que custe 200.000 Euros, terá de pagar cerca de 7.000 Euros.

Manutenção: em média, as pessoas gastam entre 0.5% a 1% do valor da casa por ano. Este é um custo que não tem quando arrenda uma casa, exceto se fizer algum estrago que não decorra da normal utilização do imóvel.

– Condomínio

– IMI: valor anual de imposto que tem de pagar quando detém uma casa.

– Outros custos não regulares, como a inspeção do gás, entre outros.

– Dinheiro “parado”: existe também a questão relacionada com o facto de geralmente o Banco não emprestar 100% do dinheiro que necessitamos e termos, portanto, de ter algum dinheiro disponível para dar de entrada, não apenas para a compra da casa, mas também para o pagamento de Impostos. Se esse valor for 20.000 Euros, significa que perdeu a oportunidade de investir esses 20.000 Euros noutro investimento, que eventualmente lhe pudesse render dinheiro mensal ou anualmente.

Existem também custos não monetários que devem ser considerados, nomeadamente a flexibilidade que o arrendamento de uma casa lhe dá. Embora uma casa comprada nos possa dar uma sensação de conforto maior, tira-nos a flexibilidade de rapidamente mudar para outro sítio, caso necessário. Podemos eventualmente perder oportunidades laborais ou mesmo limitar as nossas hipóteses para perto de casa, reduzindo assim a um raio de X quilómetros as nossas opções de trabalho.

Claro que, teoricamente, existe sempre a opção de arrendar a casa que comprou a terceiros, mas todos sabemos que na prática pouca gente o faz, por se sentirem emocionalmente ligados à casa ou até por investimentos que fizeram no recheio que não querem ver destruídos, entre outras razões. Na prática, não é assim tao simples. Embora culturalmente estejamos muito condicionados para pensar que arrendar é atirar dinheiro fora, podem existir vantagens, monetárias e outras, para o fazermos.

Não se esqueça de seguir este blog para receber um e-mail sempre que um novo post for publicado. O seguinte post terá uma calculadora para que possa analisar a sua situação individual, em particular se lhe compensa mais comprar ou arrendar. Aproveite também para ver a calculadora com os custos reais de deter um carro. Espero que ambas o ajudem a tomar decisões mais informadas e conscientes!

This article has 1 comments

  1. Pingback: Qual a percentagem do meu salário que devo gastar em cada categoria de gastos? |

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *